Letra de

Correntes de Barbante

Alcione

Quem é você pra acorrentar
Um só instante
Esse meu braço de aço
Nas suas correntes de barbante

Muito embora eu já venha
Tão cansado dos cansaços
Minha vida ainda se empenha
Em garantir os meus passos

Eu sou madeira de lenha
Mas pra me queimar
Não é qualquer mormaço

Quem é você pra acorrentar
Um só instante
Esse meu braço de aço
Nas suas correntes de barbante

As paredes do silêncio
Ultrapasso com meu grito
As montanhas da loucura
Eu escalo com a razão

Os vendavais da injúria
Eu abrando com perdão

Pelos mares da mentira
A verdade é meu saveiro
Pelas solidões da ira
O amor é meu companheiro

Nos desertos da tristeza
Alegria, meu camelo
Eu não durmo quando passo
Na terra do pesadelo

Quem é você pra acorrentar
Um só instante
Esse meu braço de aço
Nas suas correntes de barbante

Quando eu fui semeado
Nas terras férteis do acaso
Quem semeou disse alto
Ao me fazer ao seu traço

Vai ser madeira de lenha
Mas pra se queimar
Não é qualquer mormaço

Quem é você pra acorrentar
Um só instante
Esse meu braço de aço
Nas suas correntes de barbante

Por favor preencha todos os campos.






Comentários

A música Correntes de Barbante de Alcione assim como todas as outras encontradas aqui no Letraz, são de propriedade de seus respectivos autores e são divulgadas somente para fins educacionais, sendo vedada sua reprodução e cópias através de qualquer outros meios. (Lei 9610/98). All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.

© 2017 CONTTEUDO MEDIA GROUP, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.