Letra de

Nosso Nome, Resistência

Alcione

Olha nosso povo aí
Conjugando no presente o verbo resistir
Nossos corpos densos respondendo à opressão
Nossos nervos tensos suportando a humilhação

O olho cresceu, tumbeiro chegou
O couro comeu, o pau roncou
Mas o negro é aroeira
Envergou, mas não quebrou

Preto velho tem mandinga
De amansar feitor
Nega mina tem um dengo
De matar de amor

Palmares, balaios, malês, alfaiates
Fugas, guerrilhas, combates
Mão na cara, dedo em riste
Pagodes, fundos de quintal, candomblés,
Jongos, blocos, afoxés
Assim também se resiste

Negritude resplandecente
Consciente a se reconstruir
O nosso nome é resistência
Olha o nosso povo aí …

Por favor preencha todos os campos.






Comentários

A música Nosso Nome, Resistência de Alcione assim como todas as outras encontradas aqui no Letraz, são de propriedade de seus respectivos autores e são divulgadas somente para fins educacionais, sendo vedada sua reprodução e cópias através de qualquer outros meios. (Lei 9610/98). All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.

© 2017 CONTTEUDO MEDIA GROUP, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.