Letra de

Extremo (Getsêmani do Meu Ser)

Anderson Freire

Ninguém pode Te adorar por mim
Nem se arrepender por mim, por isso estou aqui
Não me deixes, Pai, adormecer no Getsêmani do meu ser
Não posso retroceder

Teu corpo foi prensado feito fruto da oliveira
E como azeite e sangue Tua pele transpirou
O dia do silêncio quem sabe estou vivendo
Ao ponto de pensar que o próprio Pai me abandonou

As razões, aflições não anulam minha paz
E se fraco eu estou, forte o Senhor me faz

Oh! Leva-me ao extremo, eu sei que está doendo
Preciso alcançar o calvário e me entregar
Até mesmo no silêncio eu sei que estás me vendo
Preciso alcançar o trono e Te adorar

Vou Te adorar, além da cruz eu vou
Lançarei a Ti coroas de louvor
Digno Tu és, Cordeiro Santo
Como os anciãos, me prostrarei, Senhor
Mas enquanto sou o peregrino aqui
Levarei a minha cruz até ao céu subir

Por favor preencha todos os campos.






Comentários

A música Extremo (Getsêmani do Meu Ser) de Anderson Freire assim como todas as outras encontradas aqui no Letraz, são de propriedade de seus respectivos autores e são divulgadas somente para fins educacionais, sendo vedada sua reprodução e cópias através de qualquer outros meios. (Lei 9610/98). All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.

© 2017 CONTTEUDO MEDIA GROUP, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.