Letra de

Do Barraco Pra Cá (part. Voz de Poder)

Tribo da Periferia

Não sei onde vou chegar, mesmo assim eu vou
Continuo a caminhar e aqui estou
Nessa estrada tão distante foi difícil aprender
Do barraco pra cá, do barraco pra cá, do barraco pra cá

Muitos sonhos se desfaz nessa longa trajetória
Pela vida fui atrás pra mudar a minha história
Até que ponto o homem cria a luta, faz castelo
A vida 6 dias sempre batendo martelo

Do barraco pra cá, cheguei num sei nem como
Tentei me segurar só pra não chegar ao cubo
Mas caí, fiquei sozinho na loucura
Um pássaro sem asas e um ninho nas alturas

Hà! Como subir no abrigo sem apoio
O sistema colhe o trigo deixa o resto ou o joio
Manifesto a dor entre sonhos e lamentos
Eu quero meu barraco só pra eu compor lá dentro

Com o tempo quem sabe construir uma família
Com fé, com amor sem me desviar das trilhas
Alegria… só consta pra quem vive endinheirado
Mansão com espaço pra guardar os importados

Meu relato desponta, ponta, aponta pelo rádio
Vai num vocal sereno perfurando-me o cárdio
Vários tentaram mas não conseguiu chegar
Por que a estrada é longa do barraco pra cá

Não sei onde vou chegar, mesmo assim eu vou
Continuo a caminhar e aqui estou
Nessa estrada tão distante foi difícil aprender
Do barraco pra cá, do barraco pra cá, do barraco pra cá

Pessoas atoa que se puseram ao meu redor
As de boa aproximaram por que viu que eu tava só
E o que é pior, as línguas de adaga são constante
Traição deixa a língua no golpe do fio cortante

Amigo é difícil oh! Por isso que eu te digo
Quando eu mais precisei só alguns tava comigo
Eu não revido as palavras que disseram ao meu respeito
Pros guerreiro meu conceito, pros fraco tem nem jeito

Não é questão de luxo, dinheiro ou vaidade
Mas se apertar no bucho vai pela necessidade
Adianta parceiro bota a banca querer ser
Faz o outro de escada o que subiu tem que descer

E na descida… quem vai parar pra ver
Porque o de baixo sobe dando Tchau pra você
Leva as dores, que fica da ferida no ego
Sem temores eu vou, a minha vida eu não entrego

A trajetória expressa na cara o sofrimento
A história regressa não para com o passar do tempo
Eu lamento praqueles que não conseguiu chegar
Porque a estrada é longa do barraco pra cá

Não sei onde vou chegar, mesmo assim eu vou
Continuo a caminhar e aqui estou
Nessa estrada tão distante foi difícil aprender
Do barraco pra cá, do barraco pra cá, do barraco pra cá

Escola, caderno, livro, tabuada
A necessidade me ofereceu quadrada
Quase aceitei viajar nesse sufoco
Ser um cego guiado por um cachorro louco

É complicado não ter rumo nem ter direção
Ser uma bala perdida vindo na contramão
Um inocente na frente pronto pra ser atingido
Aos olhos da elite ser taxado de bandido

Hà meu Deus por favor preciso de um abrigo
Se sofrer vai pro céu então vou pro paraíso
Meu sorriso apagou, mas a fé não abalou
No olhar reflete o brilho de quem luta por amor

A cada passo que eu dei todos foram planejados
Poucos sonhos conquistei, vários deixei de lado
Conformado? Não. Quero o Sol, quero a Lua
Muita paz, muito amor e meus som lá nas ruas

Meus cabelos grisalhos já não me dizem nada
Só experiência nos atalhos dessa caminhada
Que vários tentaram mas não conseguiu chegar
Porque a estrada é longa do barraco pra cá

Não sei onde vou chegar, mesmo assim eu vou
Continuo a caminhar e aqui estou
Nessa estrada tão distante foi difícil aprender
Do barraco pra cá, do barraco pra cá, do barraco pra cá

Por favor preencha todos os campos.






Comentários

A música Do Barraco Pra Cá (part. Voz de Poder) de Tribo da Periferia assim como todas as outras encontradas aqui no Letraz, são de propriedade de seus respectivos autores e são divulgadas somente para fins educacionais, sendo vedada sua reprodução e cópias através de qualquer outros meios. (Lei 9610/98). All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.

© 2017 CONTTEUDO MEDIA GROUP, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.