Letra de

Inocente

Tribo da Periferia

Inocência versos crime
Inocência versos amor
Inocência versos viver
Inocência versos Inocência

Inocência que me zelou e me deixou na rua
Me deixou as margens, só naquela noite escura
Ficou pela chuva, pelo caminho das fuga
Me abandonou e não voltou

Podia tá em casa dormindo tranquilamente, mais eu não sou inocente
Podia viver a vida sem uma mulher diferente, mais eu não sou inocente
Podia virar o dia sem mandar nenhuma pra mente, mais eu não sou inocente
Podia fazer silêncio sempre educadamente, mais eu não sou inocente
Desculpa!

Mais já nasci com a culpa as vezes prometo mudar
E vou parar com os camarote vip e open bar
Diminuir alguns DB quando for no rolê
Mais sempre vai ter um filho da … pra vim julgar
Se fuder, opinião alheia
Mas vou querer a sombra em verão de conversa feia
zzz, que nem abelha
Lembrei dos opaleira, parou nas entre quadra e assim começa a brincadeira
É só menino sem juízo, consequentemente
Fugir dos prejuízo e prosperar daqui pra frente
Não quero muito dinheiro, eu quero é os frevo e muita gente
Respeito! Que esse é o gueto que ostenta diferente
E novamente!

Podia tá em casa dormindo tranquilamente, mais eu não sou inocente
Podia viver a vida sem uma mulher diferente, mais eu não sou inocente
Podia virar o dia sem mandar nenhuma pra mente, mais eu não sou inocente
Podia fazer silêncio sempre educadamente, mais eu não sou inocente
Desculpa!

Por favor preencha todos os campos.






Comentários

A música Inocente de Tribo da Periferia assim como todas as outras encontradas aqui no Letraz, são de propriedade de seus respectivos autores e são divulgadas somente para fins educacionais, sendo vedada sua reprodução e cópias através de qualquer outros meios. (Lei 9610/98). All lyrics in our website are provided for educational purposes only and they are property and copyright of their owners.

© 2017 CONTTEUDO MEDIA GROUP, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.